Campanha antidrogas

A cola de sapateiro

cola de sapateiro é um produto tóxico, volátil, possui substâncias classificadas entre as drogas inalantes, sua composição química tem solvente hidrocarboneto aromático, ou seja, o tolueno, que é o seu ingrediente ativo, e seus similares químicos.

O metabolismo hepático transforma o tolueno em ácido benzóico, eliminando-o pelos pulmões, ou mais lentamente pela urina, na forma de ácido hipúrico.

Como o organismo reage rapidamente, gerando tolerância à dose administrada, torna-se necessário um aumento da dose para obter o mesmo efeito na próxima vez, formando-se o ciclo da dependência.

Pesquisas recentes com tomografias cerebrais mostraram que o tolueno absorvido pelo organismo dirige-se às mesmas regiões do cérebro e age de maneira muito semelhante à da cocaína .

Segundo uma pesquisa realizada em 2000 pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas a cola de sapateiro é a terceira droga mais consumida no Brasil, perdendo somente para o tabaco e o álcool.

O solvente encontrado na cola de sapateiro causa tolerância ao usuário, ou seja, para se obter o efeito desejado recorre-se à quantidades cada vez maiores do produto ou procuram-se substâncias ainda mais fortes para se alcançar o mesmo resultado, além de possivelmente causar também a dependência química.

Efeitos da droga no organismo humano

Seus efeitos incluem sensações de leveza, torpor, excitação e euforia; que tendem a ser acompanhadas por visão dupla, perda de controle, fala arrastada, andar vacilante, irritação dos olhos e mucosa, e comportamento agressivo e impulsivo. Como estes se iniciam em poucos segundos, o usuário tende a aspirá-la por diversas vezes; fazendo com que sistema nervoso e organismo em geral sejam agredidos de forma mais rápida.

Assim, o indivíduo está sujeito a transtornos como: perda de consciência, convulsões, insuficiência renal, problemas na memória, falta de equilíbrio, paralisia de membros inferiores, problemas pulmonares, depressão respiratória, arritmia cardíaca e até morte súbita. E, quando se encontra em estado de dependência, a abstinência confere a ele comportamento hiperativo e ansioso, alucinações, delírios, calafrios e irritabilidade.
Por ter um custo baixo a cola de sapateiro é encontrada com facilidade, ou seja, qualquer pessoa pode obtê-la, principalmente os jovens.

Proibição

A cola de sapateiro tem sido utilizada por crianças, adolescentes e até por adultos de forma destruidora, afetando estruturas vitais de indivíduos em desenvolvimento, seu futuro, sua vida social e familiar.

Segundo dados do Ministério Público, Depto. da Coordenadoria da Infância e da Juventude, os atos infracionais cometidos por adolescentes sob efeito de cola de sapateiro são surpreendentemente superiores aos demais e de acordo com o artigo 243 vender cola de sapateiro à menor é crime! O mesmo diz:

Art. 243. Vender, fornecer ainda que gratuitamente, ministrar ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, sem justa causa, produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida.

Pena: detenção de 06 (seis meses) à 2 (dois) anos, e multa, se o fato não constituir crime mais grave.

De acordo com a legislação, desde o dia 15 de junho de 2006 a Anvisa fixou novas regras para a venda de cola de sapateiro, ficando proibida a venda para menores de 18 anos, sendo que no Brasil existem leis federais e decretos municipais que visam regrar a venda de inalantes.

Campanha antidrogas


Antes de “Curtir” uma onda nova
Antes de dar um tequinho inocente,
Antes de Fumar um Bagulinho natural,
Antes de dar Dinheiro ao Tráficante para que eles comprem um Arsenal
E Matem alguém que você realmente gosta,
Pare e faça algo que você não faz há muito tempo…

PENSE!

Muitas pessoas procuram o caminho das drogas para se afastarem de um truma ou uma tristeza para tentar preencher um vazio, muitas vezes o caso da cola muito usada por meninos de rua que não tem nada, mas as drogas só conseguem destruir mais as pessoas, então amigos acho que podemos nos sentir muito mais realizados se conseguirmos salvar uma vida do que se perdemos a nossa, não?

Pesquisa sobre os métodos contraceptivos

Métodos contraceptivos são todos aqueles que evitem a fertilização do óvulo ou implantação do ovo (gravidez).

Métodos de barreira física

os métodos contraceptivos ou de barreira tem como função de impor um obstáculo físico para dificultar ou impedir o movimento dos espermatozóides em direção ao trato reprodutivo feminino.

Entre eles pode-se citar:

Preservetivo masculino:

Nesse método de barreira temos uma cobertura de látex ou poliuretano colocada sobre o pênis. E é a mais popular atualmente. Normalmente pode evitar a gravidez em até 98% se colocada corretamente.

Vale lembrar que, para a camisinha não rasgar, furar ou estourar, deve-se:

– Utilizar apenas as que estão dentro da data de validade;

– Usar com lubrificantes (caso precise) a base de água, pois as que são a base de óleo danificam o material e;

– Na hora de colocar deixa a ponta bem apertada, pois, se o ar permanecer dentro na hora da ejaculação ela estoura.

Preservativo Feminino:

Este preservativo é parecido com o masculino e feita do mesmo material, mas com um anel flexível em cada extremidade. Um para ajudar ao preservativo ficar no lugar e o outro pra manter do lado de fora da vagina.

Barreiras cervicais:

São dispositivos que são inseridos por completo no interior da vagina. O capuz cervical é a menor barreira cervical. Ele se mantém no lugar por sucção ao cérvix ou às paredes vaginais. O escudo de Lea é uma barreira cervical mais larga.

O diafragma é um anel flexível, coberto por uma membrana de borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina, para cobrir o colo do útero. Deve ser usado preferencialmente em conjunto com um espermicida. Como há vários tamanhos de diafragma, a mulher deve consultar seu ginecologista para verificar qual tamanho se ajusta melhor à medida do seu colo do útero.

A esponja contraceptiva é uma pequena esponja embebida em espermicida, que possui uma depressão para segurá-la no lugar sobre o colo uterino. O espermicida contido nela é normalmente ativado mediante o contato com água corrente. Deve ser inserida pouco antes da relação sexual.

Métodos hormonais.

1 – ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS)

É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos reversíveis dentre as medidas medicamentosas. Os anticoncepcionais orais podem ser combinados (estrógeno + progestágenos), ou constituídos apenas de progestágeno (minipílula).

1.1 – ANTICONCEPCIONAIS ORAIS COMBINADOS

São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

Todos os comprimidos têm a mesma dosagem.

As pílulas combinadas são divididas basicamente conforme a dose de etinilestradiol:

O progestágeno das pílulas pode variar entre o levonorgestrel, gestodene, desogestrel ou acetato de ciproterona.

Alguns progestágenos podem levar algumas pacientes a efeitos semelhantes aos dos hormônios masculinos (acne, seborréia).

Na realidade os anticoncepcionais combinados são semelhantes entre si.

1.2 – ANTICONCEPCIONAIS ORAIS TRIFÁSICOS

São as pílulas que contêm estrogênios e progestágenos associados, porém em doses que variam com o decorrer da dosagem dos comprimidos (comprimidos de cores diferentes). Esta variação tenta imitar as variações hormonais do ciclo normal.

Contém etinilestradiol (estrogênio) e levonorgestrel (progestágeno) na sua composição.

Mecanismo de ação dos anticoncepcionais orais combinados e trifásicos

As pílulas inibem a ovulação e este é o seu principal mecanismo de ação. Além se serem anovulatórias, as pílulas promovem a alteração do muco cervical, da motilidade tubária e do endométrio.

1.3 – MINIPÍLULAS – PÍLULAS SÓ COM PROGESTOGÊNIOS

São comprimidos que contém apenas progestogênio. Seu mecanismo de ação é a alteração do muco cervical (evitando a penetração dos espermatozoides), alteração da motilidade tubária e a inadequação provocada no endométrio.

 

2 – ANTICONCEPCIONAIS INJETÁVEIS

2.1 – ANTICONCEPCIONAL HORMONAL – INJETÁVEL COMBINADO.

São de uso mensal e combinam estrogênio e progestágeno. Têm eficácia similar aos anticoncepcionais orais combinados. São utilizados naquelas pacientes que não conseguem se lembrar de usar a pílula diariamente ou têm intolerância gastrointestinal aos hormônios.

2.2 – ANTICONCEPCIONAL HORMONAL – INJETÁVEL SÓ DE PROGESTERONA.

O mais usado é o acetato de medroxiprogesterona, 150 mg a cada três meses. Seu efeito anticoncepcional é por inibição da ovulação e atrofia endometrial. É, dos métodos reversíveis, o mais eficaz. O efeito adverso mais comum é o sangramento irregular e a amenorréia (ausência de menstruação).

3 – IMPLANTES HORMONAIS – ANTICONCEPÇÃO DE LONGA DURAÇÃO

O implante subdérmico de levonorgestrel – um progestágeno – é chamado NORPLANT. É um método de contracepção hormonal que só contém progestágeno. Desde 1990 este método foi liberado para uso nos Estados Unidos, entretanto já era usado há mais tempo em outros países.

O Norplant é um sistema que consiste em 6 cápsulas que contém levonorgestrel. Este progestágeno é liberado lentamente das cápsulas tendo duração de 5 anos, desde a inserção.

Cápsulas de norplant

Cápsulas de norplant

Cápsulas subdérmicas de levonorgestrel

Cápsulas subdérmicas de levonorgestrel.

Mecanismo de ação: O implante de levonorgestrel inibe a ovulação, tem ação sobre o muco cervical e provoca atrofia de endométrio.

Métodos intra-uterinos

O DIU é o método contraceptivo mais utilizado no mundo. É um dispositivo geralmente feito de cobre, que é colocado dentro do útero e leva a várias modificações do útero e da tuba uterina, além de provocar reações que matam os espermatozóides.

Existem dois tipos principais: 1) o DIU de cobre, largamente utilizado, disponível no sistema único de saúde; e 2) o DIU com hormônio (um tipo de progesterona), de alta eficácia e que apresenta uma ação especial de alterar o muco do colo uterino, impedindo que os espermatozóides cheguem ao útero. O DIU é colocado pelo médico, de preferência durante o período menstrual, e apresenta durabilidade de alguns anos (depende do tipo). É extremamente eficaz, sendo que o risco de gravidez é bastante pequeno.

Métodos Irreversíveis (esterilização)

Ligadura de trompas

As trompas de Falópio (tubas uterinas), que ligam os ovários ao útero, são cortadas ou ligadas cirurgicamente neste método contraceptivo.

A laqueadura ou ligadura de trompas é o método de esterilização feminina caracterizado pelo corte e/ou ligamento cirúrgico das trompas de Falópio (tubas uterinas), que fazem o caminho dos ovários até o útero. Assim, os óvulos não conseguem passar para dentro do útero, não se encontrando com os espermatozoides, e, consequentemente, não há a fecundação. É um procedimento seguro que pode ser feito de várias maneiras, sendo necessário internação e anestesia geral ou regional.

Vasectomia

A vasectomia consiste no corte e sutura dos canais deferentes.

A vasectomia consiste em uma pequena cirurgia na altura das virilhas onde é feita a ligadura dos canais deferentes, os ductos que levam os espermatozóides produzidos nos testículos até o pênis. Após a cirurgia devem ser realizados exames para confirmar a ausência de espermatozóides no esperma, que ainda é produzido e ejaculado. A vasectomia não interfere na potência sexual e na produção dos hormônios sexuais nos testículos.

Tabelinha e coito interrompido

Esses métodos apresentam baixa eficácia, alteram o comportamento do casal, dependem de motivação e aprendizado e não protegem contra doenças sexualmente transmissíveis/AIDS.

Tabelinha

A famosa tabelinha é bastante utilizada, ainda hoje. Consiste no cálculo do provável dia da ovulação e na abstinência sexual por 7 dias, nessa época. Esse método, porém, só deve ser utilizado por mulheres que tenham os ciclos menstruais regulares e que ovulem sempre no 14º dia do ciclo. Para sua aplicação, devem ser observados os ciclos por pelo menos 6 meses, antes do início.

O modo de usar é bastante simples. Você pega a data provável da próxima menstruação e subtrai dela o número 14. O resultado é o dia provável da ovulação. Agora basta contar 4 dias antes e 4 dias depois. Durante esse tempo, o casal não deve ter relações sexuais. Vamos dar um exemplo:

Vamos supor que o primeiro dia de sua próxima menstruação será no dia 20. Bom, agora subtraímos 14 de 20 (20-14=6). A data provável da menstruação é dia 6. Subtraímos 4 dias e somamos 4 dias a essa data. Assim, a abstinência deve ser feita do dia 2 ao dia 10.

coito interrompido

Consiste na retirada do pênis da vagina, antes da ejaculação. Não é um método recomendado, pois leva a um ato sexual incompleto e a ansiedade no casal. O índice de falha é alto porque muitos homens não conseguem controlar o momento da ejaculação e, além disso, o líquido seminal eliminado antes da ejaculação também contém espermatozóides. O uso constante desse método pode favorecer o desenvolvimento de dor pélvica na mulher, pois como ela não tem orgasmo há uma vasodilatação com acúmulo de sangue na região da pelve. Outro problema associado a esse método é que ele pode gerar, no homem, ejaculação precoce e disfunção erétil (impotência).

Contracepção de emergência

Algumas das pílulas anticoncepcionais combinadas e pílulas exclusivamente de progestágenos (PEPs) podem ser tomadas em altas doses para prevenir a gravidez após a falha de um método contraceptivo (como o rompimento da camisinha, por exemplo) ou após uma relação sexual desprotegida. Esta técnica é conhecida também como método de Yuzpe. A contracepção de emergência hormonal é também conhecida como a “pílula do dia seguinte”, embora seu uso pode ser feito até três dias após a relação sexual.

No entanto, quanto maior o intervalo de tempo entre a relação sexual e a administração da pílula, menores as chances de ela previnir a gestação.

Os dispositivos intra-uterinos de cobre também podem ser usados como contracepção de emergência. Para este uso, eles devem ser inseridos dentro de cinco dias após a falha do método de contracepção ou relação sexual desprotegida.

Recadinho para os colegas

Amigos é difícil acreditar que em pleno século XXI alguns jovens ainda fazem sexo sem proteção , não temos mais desculpas em nossa atualidade para não usar métodos contraceptivos, não se pode pensar em sexo sem camisinha uma coisa barata de fácil acesso e que pode salvar seu futuro, não só de um filho na adolescência mas também de contrair uma doença que pode nos privar de toda a parte de curtição da vida, e claro amigos sexo é coisa seria. Então antes de qualquer coisa vamos tentar ser guiados pelo cérebro.se me entendem . XD

História em quadrinhos

-história baseada na infecção do virus HIV.

Lista de personagens:

-virus da HIV-

vírus da imunodeficiência humana (VIH), também conhecido por HIV (sigla em inglês para human imunodeficiency virus), é da família dos retrovírus e o responsável pela SIDA (AIDS). De uma forma geral, o HIV é um retrovírus que ataca o sistema imunológico causando eventualmente a síndrome da imunodeficiência adquirida em casos não tratados.

-neutrofilo-

Os neutrófilos são uma classe de células sanguíneas leucocitárias, que fazem parte do sistema imunitário. São leucócitos polimorfonucleados, têm um tempo de vida médio de 6h no sangue e 1-2dias nos tecidos e são os primeiros a chegar às áreas de inflamação, tendo uma grande capacidade de fagocitose.

-macrofago-

Em citologia, chamam-se macrófagos as células de grandes dimensões do tecido conjuntivo, ricos em lisossomos, que fagocitam elementos estranhos ao corpo. Os macrófagos derivam dos monócitos do sangue e de células conjuntivas ou endoteliais. Intervêm na defesa do organismocontra infecções.

-linfocito T auxiliar ou CD4-

O linfócito T auxiliar tem a função de coordenar a função de defesa imunológica contra vírus, bactérias e fungos, principalmente através da produção e liberação de substâncias chamadas citocinas. Na Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, sua destruição pelo vírus HIV dá início à deficiência imunológica.

-linfócito T citotóxico ou CD8-

O linfócito T citotóxico é um importante leucócito que ataca células que se tornam anormais, geralmente tumorais ou infectadas por vírus.

Doença de Chagas

O que é

A doença de Chagas ou mal de Chagas (como também é conhecida) tem esse nome em homenagem ao cientista Carlos Chagas que descobriu e a descreveu. É uma doença causada por um protozoário,o Trypanossoma Cruzi, e é transmitida, principalmente, por um inseto da Subfamília Triatominae, conhecido popularmente como barbeiro.

Vetor

Triatoma infestans ou babeiro como é conhecido é um inseto  transmissor da doença de chagas. É um animal de habitos noturnos, que se alimenta, exclusivamente, de sangue de animais vertebrados. Por ter preferencia de viver perto de sua fonte de alimentos, Essa dieta influencia seu habitat

que normalmente sao frestas de casas de pau a pique, camas, depositos, ninhos de aves, troncos de arvores e outros locais.

Esse inseto é conhecido como barbeiro por preferir se alimentar na regiao do rosto.

Transmição

O parasita pode ser transmitido de 4 maneiras, sendo a primeira a mais ocorrente e envolvendo o transmissor.

1º- O barbeiro, ao se alimentar do sangue de um animal ja com a doença, passa a carregar consigo o protozoario causador e, quando se alimenta de um animal saudavel,

passa a doença para ele. Isso acontece porque, esse inseto tem o habito de defecar apos a refeição (onde contem o protozoario). Como as pessoas costumam coçar a reagião da picada, acaba espalhando as fezes do inseto, permitindo, assim, a entrada do parasita no corpo. Esses passam a viver no sangue e depois se alojam no musculo principalmente no coração.

2º – pela transfusão de sangue contaminado;

3º- durante a gravidez da mae para o bebe;

4º -E, descobriram a pouco tempo,se tomando caldo de cana ou açai moidos com o inseto acidentalmente.

Deve-se lembrar que: no caso da contaminação por ingestao, há invasao ativa do parasita.

E, também que, o Barbeiro nao é hospedeiro intermediario, mas apenas transmissor ja que, enquanto no corpo dele, o parasita nao sofre desenvolvimento

ou “mutação”.

Apos vinte dias da copula, a femea libera quase 200 ovos que eclodem apos 25 dias e os pequenos sofrem cerca de cinco mudas ate atingir a forma adulta, copulando e

formando colonias.

Sintomas

A doença pode ser assintomatica ou apresentar duas fases: a fase Aguda, despercebida pelo paciente, ou quadro cronico, onde a doença pode se manifestar decadas depois de ser infectado.

Na fase aguda, tem-se como sintoma: Febre, mal-estar, falta de apetite, dor ganglionar, inchaço ocular e aumento do fígado e baço.

Em quadro cronico: O mal de Chagas pode destruir a musculatura dos órgãos atingidos (principalmente a do coração), provocando o aumento desses de forma irreversível.

coração infectado com chagas

Tratamento

Na fase inicial aguda, a administração de fármacos como nirfutimox, alopurinol e benzonidazol curam completamente ou diminuem a probabilidade de cronicidade em mais de 80% dos casos.

Do ponto de vista medico,na fase crônica não ha nada a fazer para corrigir as seqüelas da doenças(são definitivas) o que resta é o controle dos inchaços e, para alguns portadores

da doença, só resta apostar no transplante cardíaco.

Ainda não há vacina para a prevenção da doença. A prevenção está centrada no combate ao vetor, o barbeiro, principalmente através da melhoria das moradias rurais a fim de impedir que lhe sirvam de abrigo. A melhoria das condições de higiene, o afastamento dos animais das casas e a limpeza frequente das palhas e roupas são eficazes.

Basicamente, a prevenção se dá pela eliminação do vetor, o barbeiro, por meio de medidas que tornem menos propício o convívio deste próximo aos humanos, como a construção de melhores habitações, pois este inseto vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos e sob pedras. Existem também bloqueadores para o parasita, ao ir a lugares que possam possuir o barbeiro, tome um banho de gelatina sem sabor ainda mole. Isso impedirá o protozoário de entrar na corrente sanguínea, assim não contrairá a doença, ficado imune a mesma durante um período de tempo razoável, cerca de 2 dias.

habitat do barbeiro ( vetor da doença de chagas)

Entrevista com doutor Marcos Boulos sobre doença de chagas

Drauzio – Com o passar dos anos, o Tripanosoma provoca dilatação da musculatura cardíaca, do esôfago e do cólon. Uma vez instaladas essas alterações, o que pode ser feito do ponto de vista clínico?

Marcos Boulos – Do ponto de vista clínico, não há o que fazer para corrigir essas seqüelas da doença. As lesões são definitivas e restam os cuidados gerais para controlar os sintomas e evitar inchaços. Medicamentos que aumentam a contratividade do coração, por exemplo, pressupõem algum risco e funcionam pouco porque o coração continua dilatando. Para alguns pacientes chagásicos, a única solução é tentar o transplante cardíaco.
Com relação ao megacólon e ao megaesôfago, também não há possibilidade de tratamento, a não ser submeter o indivíduo a procedimentos cirúrgicos para correção das alterações.

Drauzio – Existe algum medicamento eficaz para tratar a doença de Chagas?

Marcos Boulos – O medicamento existe, mas é tóxico e deve ser ministrado sob supervisão médica continuada, por prazo determinado (geralmente um mês), de preferência com o paciente internado no hospital. Os resultados costumam ser satisfatórios na fase aguda, enquanto o Tripanosoma está circulando no sangue. Na fase crônica, com as lesões instaladas, esse tratamento não funciona mais. A despeito de terem sido descritos casos em que o medicamento foi usado nessa fase porque os pacientes ainda tinham o parasita na circulação sangüínea, levando em conta o custo/benefício, acho que não compensa utilizá-lo mais.

Drauzio  Isso quer dizer que não há tratamento para o chagásico que tenha adquirido o Tripanosoma 20 anos atrás?

Marcos Boulos – A grande maioria dos infectados pelo Tripanosoma não vai apresentar problema nenhum. Mesmo assim, todos precisam ser acompanhados para verificar se, em algum momento, não desenvolvem alguma manifestação da doença. As avaliações cardíacas e gastroenterológicas periódicas são importantes também para prevenir lesões mais graves.

Video explicativo da doença de chagas


Sistema circulatório

O sistema circulatório

O sistema circulatório dos vertebrados é um sistema de transporte fechado, sendo o sangue bombeado pelo coração através de um sistema contínuo de vasos sanguíneos.

Neste tipo de sistema, o coração tem posição ventral apresentando diferentes números de aurículas e ventrículos. Também é variável o número de vasos ligados diretamente ao coração.

PEIXES:


O Tipo de Circulação característica nos peixes é a circulação simples, ou seja, o sangue passa apenas uma vez pelo coração, percorrendo um trajeto único. Coração apresenta duas cavidades ( uma átrio e um ventrículo) e nele apenas circula o sangue venoso, pois ele vem do corpo e não das brânquias ( e é rico em CO2).

Nos peixes ósseos a circulação é simples, ou seja, o sangue passa apenas uma vez pelo coração a cada ciclo, a pressão arterial é menor do que nos mamíferos, onde o sangue passa duas vezes pelo coração a cada ciclo, o trajeto do sangue é: Coração, Pulmão (sai arterial), Coração, Corpo (volta venoso), Coração, e daí em diante.

ANFIBIOS:


A Circulação típica desse grupo é a dupla incompleta, ou seja, o coração apresenta cavidades: dois átrios e um ventrículo. O sangue percorre dois trajetos diferentes, passando duas vezes pelo coração. Há mistura parcial de sangue venoso e arterial no ventrículo. Este tipo de circulação, além de estar presente nos anfíbios, também é característica dos répteis.

REPTEIS:


O coração da maioria dos répteis apresenta dois átrios e dois ventrículos parcialmente divididos. Nos ventrículos ocorrem mistura de sangue oxigenado com sangue não-oxigenado. Nos répteis crocodilianos (crocodilo, jacarés), os dois ventrículos estão completamente separados, mas o sangue oxigenado e o sangue não-oxigenado continuam se misturando, agora fora do coração.

MAMIFEROS:


A circulação nesse grupo é dupla e completa, ou seja, o coração apresenta quatro cavidades: Dois átrios e dois ventrículos. O sangue percorre dois trajetos distintos, passando duas vezes pelo coração. Não há mistura de sangue venoso e sangue arterial, por isso é maior a oxigenação do sangue que chega às células, permitindo, assim, uma maior capacidade energética. Também esta presente nas aves.

AVES:


A circulação é fechada, dupla e completa; o sangue venoso não se mistura com o sangue arterial. As hemácias são nucleadas e ovais.Não há mistura de sangue venoso e sangue arterial como ocorre nos mamiferos, paramaior capacidade energética.O coração tem 4 cavidades, que são conhecidos como: os dois átrios ou aurículas e os dois ventrículo.

O blog escolhido♥

De todos os blogs que comentamos essa semana,sim senhores, todos os blogs da V02 turma de eletro 2010/1  a grande maioria apresentou um trabalho muito organizado passando a matéria de uma maneira muito simples, o que nesse caso é uma coisa muito boa, mas como de todos os blogs tenho que escolher apenas um acho que fico com o de nossos amigos Felipe e Lorena que estão apresentando um trabalho muito bom desde o primeiro post , e que no ultimo nos possibilitaram ver coisas que estão sempre presentes como a tosse e o espiro de uma maneira diferente, no mais , o brigado pelas informações de todos vocês colegas , estamos em um caminho muito produtivo ;D

seus amiguinhos de sempre

Bruno e Lara

Sistema respiratório

O sistema respiratório

A função do sistema respiratório é possibilitar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração de oxigênio no sangue, necessária para as reações metabólicas, e em contrapartida servindo como via de eliminação de gases residuais, que resultam dessas reações e que são representadas pelo gás carbônico.

O intercâmbio dos gases faz-se ao nível dos pulmões, mas para atingi-los o ar deve percorrer diversas porções de um tubo irregular, que recebe o nome conjunto de vias aeríferas.

A ventilação pulmonar é a renovação de ar nos pulmões, o que não se pode confundir com respiração já que, essa, é um processo de combustão com a presença de glicose.

A Hematose é a troca de gases respiratorioas (o oxigênio e o Carbônico). Sempre é difusiva, ou seja, a favor do gradiente.

Os orgãos do sistema respiratório

Fossas nasais

São duas cavidades paralelas que começam nas narinas e terminam na faringe. Elas são separadas uma da outra por uma parede cartilaginosa denominada septo nasal. São revestidas internamente pela mucosa nasal, que possui um grande número de vasos sanguíneos.  No interior das fossas interior há dobras chamada cornetos nasais, que forçam o ar a turbilhonarA mucosa tem, também, pequenos pêlos e produz uma substância viscosa, levemente amarelada, denominada muco. Além de lubrificar a mucosa, junto com os pêlos, retêm micróbios e partículas de poeira da ar, funcionando como um filtro.

Gray153.png

Faringe

Função.é um canal comum aos sistemas digestório e respiratório e comunica-se com a boca e com as fossas nasais. O ar inspirado pelas narinas ou pela boca passa necessariamente pela faringe, antes de atingir a laringe.

Laringe

É um tubo cartilaginoso articuladas, situado na parte superior do pescoço, logo após  à faringe. O pomo-de-adão, saliência que aparece no pescoço, faz parte de uma das peças cartilaginosas da laringe.

A entrada da laringe chama-se glote. Acima dela existe uma espécie de “lingüeta” de cartilagem denominada  , que funciona como válvula. Quando nos alimentamos, a laringe sobe e sua entrada é fechada pela epiglote. Isso impede que o alimento ingerido penetre nas vias respiratórias.

O epitélio que reveste a laringe apresenta pregas, as cordas vocais, capazes de produzir sons durante a passagem de ar.



Traquéia

É um tubo de aproximadamente 1,5 cm de diâmetro por 10-12 centímetros de comprimento, cujas paredes são reforçadas por anéis cartilaginosos. Bifurca-se na sua região inferior, originando os brônquios, que penetram nos pulmões. Seu epitélio de revestimento muco-ciliar adere partículas de poeira e bactérias presentes em suspensão no ar inalado, que são posteriormente varridas para fora (graças ao movimento dos cílios) e engolidas ou expelidas.

Pulmão

Os pulmões humanos são órgãos esponjosos, com aproximadamente 25 cm de comprimento, sendo envolvida por uma membrana serosa denominada pleura. Nos pulmões os brônquios ramificam-se profusamente, dando origem a tubos cada vez mais finos, os bronquíolos. O conjunto altamente ramificado de bronquíolos é a árvore brônquica ou árvore respiratória.
Cada bronquíolo termina em pequenas bolsas formadas por células epiteliais achatadas (tecido epitelial pavimentoso) recobertas por capilares sangüíneos, denominadas alvéolos pulmonares. 

Movimentos Respiratórios

Processo de entrada de ar pela Inspiração

Na inspiração, os principais músculos são o diafragma, os intercostais externos e os diversos músculos pequenos do pescoço que tracionam para cima a parte anterior da caixa torácica.

Os músculos inspiratórios produzem aumento do volume da caixa torácica por dois meios distintos. Primeiro, a contração do diafragma promove o descenso da parte inferior da caixa torácica, o que a expande no sentido vertical. Segundo, os intercostais externos e os músculos cervicais elevam a parte anterior da caixa torácica, fazendo com que as costelas formem ângulo menor com a vertical, o que alonga a espessura ântero-posterior dessa caixa.

Processo de saída de ar pela Expiração

Na expiração, os músculos participantes são os abdominais e, em menor grau, os intercostais internos. Os abdominais produzem a expiração por dois modos. Primeiro, puxam a caixa torácica para baixo, o que reduz a sua espessura. Segundo, forçam o deslocamento para cima do conteúdo abdominal, o que empurra, também para cima o diafragma, diminuindo a dimensão vertical da cavidade pleural.

Os intercostais internos participam do processo de expiração por tracionarem as costelas para baixo, diminuindo a espessura do tórax.

Trocas gasosas

Oxigênio

A distribuição de oxigênio é feita através da interação da hemoglobina com o oxigênio do ar(que pode ser inspirado ou absorvido, como na respiração cutânea). Chegando às células do organismo, o oxigênio é liberado e o sangue arterial(vermelho) transforma-se em venoso (vermelho arroxeado). Quando o oxigênio difunde dos pulmões para o sangue (nos alvéolos e nos capilares), uma pequena proporção fica em solução nos líquidos do plasma sanguíneo e nas próprias hemácias, mas, uma quantidade de oxigênio cerca de sessenta vezes maior combina imediatamente com a hemoglobina presente nas hemácias.

A essa forma combinada do oxigênio + hemoglobina  damos o nome de oxi-hemoglobina. Ela é levada então para os capilares dos tecidos do corpo. Na verdade, sem a hemoglobina, a quantidade de oxigênio que poderia ser transportada seria apenas uma pequena fração do que seria necessária para manter a vida.

Gás Carbônico

Os 7% restantes do gás carbônico que não é transformado em bicarbonato ou esta junto com a hemoglobina é dissolvido no plama.

Cerca de 23% do gás carbônico liberado pelos tecidos associam-se à própria hemoglobina, formando a carboemoglobina.

A maior parte do gás carbônico (cerca de 70%) liberado pelas células no líquido tissular penetra nas hemácias e reage com a água, formando o ácido carbônico, que logo se dissocia e dá origem a íons H+ e bicarbonato (HCO3-), difundindo-se para o plasma sangüíneo, onde ajudam a manter o grau de acidez do sangue

nariz entupido

Siga as dicas e acabe com o nariz entupido – Popularmente chamada de nariz entupido, a congestão nasal, pode se apresentar quando uma pessoa está com constipação, rinite alérgica ou irritação causada por fumaça de cigarros, frio, medicamentosou cheiros fortes.

nariz entupido

As secreções nasais aumentam devido à ação de vírus que ativam o sistema imunológico da pessoa, o qual produzirá substâncias para a defesa do organismo, que trarão a sensação de nariz entupido ou congestão nasal e, em excesso, causarão a obstrução das fossas nasais.

Para dar fim a sensação de desconforto do nariz entupido, utilize descongestionantes tópicos ou sistémicos, vapores de cânfora, eucalipto, mentol, sprays de água ou medicamentos “Anti-histamínicos” (Mepiramina, Clorofenamina ou Dexbromofeniramina).

Mas se você prefere rémedios feitos em casa para desemtupir o nariz, uma opção é ferver em uma panela água com eucalipto, tomilho, lavanda ou camomila e inalar o vapor. Outra alternativa é usar alimentação a seu favor. Alimentos como cenoura (com casca) e alho podem previnir a ocorrência do nariz entupido.

Já para acabar com as alergias respiratórias, procure ficar longe da poeira. Os cobertores e blusas devem ser lavados e guardados no período de verão em sacos plásticos, evitando a proliferação dos ácaros. Tome cuidado também com animais de estimação que soltam pelos. Tapetes, carpetes e cortinas também devem ser aspirados, tudo isso pode deixar seu nariz entupido.



Previous Older Entries